Profissão de Torneiro Mecânico, mercado de trabalho e salário

Como é a profissão de Torneiro Mecânico? Como é o mercado de trabalho, formação necessária e salário de quem trabalha como Torneiro Mecânico?

Para saber como é a profissão de torneiro mecânico, quais os seus desafios e oportunidades no mercado de trabalho, nada melhor do que ouvir os profissionais desta área para responder a essas perguntas. Veja abaixo:

// Respostas

Trabalhei em uma metalúrgica e lá aprendi um pouco da profissão e me apaixonei. Estou fazendo um curso no SENAI e ao conclui-lo, espero ter recibo a empresa em que trabalhei já que a cobrança de meus salários e comissões estão na justiça. Recebendo, irei comprar um torno e tenho certeza de que irei prosperar.

Alaôr Rodrigues de Souza Júnior - Goiânia


É uma profissão muito gratificante como todas acredito eu, mas vamos falar um pouco da minha, você abre o desenho e logo imagina na sua cabeça a peça pronta. Depois é só desenvolver o trabalho, um material em-bruto vai-se transformando em uma peça, vamos falar de uma peça que todos conhecem uma polia por exemplo, ta presente em quase tudo aviões, navios, maquinas em geral. Ferramentaria moldes, estampas, dispositivo. Em fim estamos ai, sem contar os cálculos matemáticos que tem que ser usados, e com bastante frequência. Bom valeu a todos boa sorte. aos que estão querendo iniciar na profissão, é gratificante.

antonio carlos de castro pinto - mogi das cruzes sp


Profissão estressante e pagando cada vez menos aos profissionais, nos anos 80 falasse que era torneiro oooohhhhh! Agora choram pra pagar 3 salários mínimos. Em meados de 98 ganhava em torno de 7 mínimos agora 4 e olha lá.

Junior Parnieski - curitiba /pr


Poderia ser mais valorizada, fiz curso técnico no Senai que durou 2 anos e meio,é uma faculdade porem não é valorizada tão bem assim. Hoje estou afastado deste mercado maz gostaria de retomar desde que foce melhor remunerado.

Rogério Souza - porto alegre rs


Eu exerci esta profissão durante 7 anos. 7 anos de sofrimento eu diria. me arrependi profundamente em me dedicar ao máximo nesse tipo de trabalho. É muito cansativo estressante a gente é obrigado a trabalhar em pé o tempo todo . Eu trabalhava cerca de 10 horas por dia. Poucas vezes eu tinha oportunidade de ir ao banheiro. o ruim era trabalhar no calor de mais de 30 graus debaixo de um barracão quente e abafado suando o tempo todo. Essa é uma profissão pra homem mesmo. Não é qualquer um que suporta os desafios dessa profissão . Sem contar que os encarregados ou patrões não valorizam o torneiro . Eu, mesmo trabalhando certinho fazendo o melhor possível ou até mesmo me superando cada vez mais buscando o meu ultimo limite, nunca tive reconhecimento profissional, eu sempre me inspirava no Ayrton Senna. Sempre buscando meu ultimo limite me dedicando á perfeição. A maioria das maquinas que me disponibilizavam eram maquinas antigas de mais de 30 manos de uso e esmo assim eu tinha que fazer milagre pois as maquinas quebravam muito causando muita manutenção em tornos. As vezes eu mesmo desmontava os tornos. eu diria que para quem quer trabalhar nessa área, não vale a pena fazer um longo curso de torneiro mecânico. faça um curso de apenas 4 ou 5 meses e trabalhe pra conseguir dinheiro suficiente pra pagar faculdade ou até mesmo um curso técnico e depois de formado abandone o torno e siga sua carreira de acordo com sua faculdade ou curso técnico. Um ex-torneiro amigo meu fez de educação física e depois de 2 anos conseguiu abandonar o torno e hoje em dia ele trabalha de salva vidas na praia. Quem quiser saber mais sobre essa profissão pode me enviar um e mail: [email protected] abraços.

Hélder marques - brasilia df


Exerci a profissão de torneiro mecânico convencional durante 12 anos. Como toda profissão, a de torneiro tem lado espinhoso. É uma profissão vulnerável à crises econômicas e a avanços da tecnologia. (Hoje em dia é tudo CNC). Já fiquei muito tempo desempregado ou fazendo bicos, quando aparecia. O serviço é insalubre e perigoso, já que se trabalha com diversos tipos de materiais. Alguns desprendem muito pó. Outros, cavacos muito quentes e cortantes. Além disso, a responsabilidade é enorme, A gente trabalha com medidas extremamente pequenas e se vacilar corre o risco de matar uma peça durante o acabamento. No passado esta profissão fazia parte da elite operária deste país e era bem remunerada e valorizada. Muitos conseguiram chegar a cargos importantes através dela. Porém, atualmente as exigências aumentaram muito, e o torneiro tem que ser polivalente se quiser se manter no mercado. E o que é pior, o salários estão muito baixos e a profissão desvalorizada. Há faxineiro ganhando mais do que um torneiro altamente qualificado. É um contraste.

Ademar Domingues - São Paulo-SP


Trabalha em pé numa unica posição por mais de dez horas, não se tem mais a insalubridade e com o tempo você vai ter um serio problema de desvio de coluna que vai deixar você com uma perna diferente da outra, varizes e dores no joelho e uma possível cirurgia, ser torneiro mecânico não é para qualquer um tem que gostar muito da profissão. Boa sorte.

mariano da silva - barueri-sp


É uma profissão como qualquer outra se tiver aptidões pra ela se tornar um ótimo profissional fatalmente sera valorizado e ganhara bem em torno de 1600 a 2000 no máximo se não for ganhara apenas o suficiente pra viver o certo e trabalhar o suficiente pra pagar uma faculdade ou então se gostar mesmo da profissão montar seu próprio negocio ai sim ira ganhara dinheiro mais tem que se atualizar sempre .

deudimar - manaus AM