O que pensa um ex-aluno de faculdade EAD? Recomenda ou não?

Perguntas e respostas sobre as principais dúvidas relacionadas a faculdades a distância e sobre o modelo EAD. Um ex-aluno deste modelo respondeu as perguntas. Veja as respostas

Em qual universidade você estudou e qual curso fez?

Na Unip – Universidade Paulista e fiz o curso de Gestão de Sistemas da Informação, hoje este curso foi remodelado e atualmente o nome dele é Gestão da Tecnologia da Informação.

Por ser um curso de tecnologia, a duração dele é de 2 anos.

Quais as dificuldades que você enfrentou durante o curso?

Poucas dificuldades. Eu me adaptei muito bem ao modelo do curso e da modalidade a distância. Foi uma novidade, mas ela me pareceu bastante positiva e a experiência foi tranquila. Ajudou também o fato de eu fazer um curso em uma área que eu já conhecia muito bem e com isso não tive dificuldades nas matérias, exceto em uma que era multidisciplinar e não era da minha área.

Você sofreu ou sofre preconceito por ter feito faculdade a distância?

Para ser sincero sim. Claro que não é um preconceito explicito, mas sabe aquela coisa da pessoa olhar para você de uma forma diferente. Isto aconteceu de forma muita clara quando comentei com uma colega de trabalho que fazia uma faculdade a distância.

Talvez hoje isto não aconteceria mais ou pelo menos creio que se existir, deve ser menos. O problema é que quando as faculdades EAD começaram a ganhar popularidade, o modelo ainda não era compreendido pelas pessoas e muitos viam como algo sem valor ou questionável. Temos de levar em conta que o tradicionalismo é muito forte na sociedade e mudar algo que sempre foi feito da mesma forma, não é tão simples assim.

Teve alguma dificuldade no mercado de trabalho?

Nenhuma. Como expliquei acima, eu já trabalhava na área e portanto a faculdade agregou conhecimentos, mas o que eu já sabia era o suficiente para conseguir trabalhar bem. Creio que o mesmo possa não ocorrer com pessoas que não tenham muita similaridade com o curso e a área de trabalho onde ele atue. Nesses casos, o esforço deve ser maior para compensar a falta de conhecimento prévio.

Teve alguma dificuldade para receber o diploma?

Não. Demorou, mas foi mais ou menos dentro do prazo que eles haviam informado. A emissão do diploma não é imediato, existem prazos legais e são bem longos por sinal, mas tudo dentro da normalidade.

Faria novamente uma faculdade EAD?

Faria e só não fiz ainda por outros motivos. Quero inclusive fazer uma pós-graduação e provavelmente será no modelo EAD. Acho que a minha experiência com faculdades a distância me deixou bastante tranquilo a ponto de conhecer bem a modalidade. Creio que hoje eu tiraria mais proveito de um curso EAD.

Qual a opinião de quem já fez faculdade a distância?

Existem opiniões diversas, desde as positivas até algumas desanimadoras. O que é preciso considerar nesses casos é que cada aluno terá uma experiência diferente e é com base nesta experiência que as pessoas emitem suas opiniões. Então é preciso ter cuidado ao analisar tais opiniões e não é porque uma pessoa teve uma experiência ruim que todos terão, enquanto que o inverso também é verdadeiro.

Antes de considerar a opinião de uma pessoa sobre este assunto, creio que algumas perguntas precisam ser feitas:

  • Onde estudou?
  • Qual curso?
  • Você conhecia bem a área ou o curso?
  • Você sabia dos desafios do ensino EAD e se preparou para eles?
  • Você dedicou o tempo necessário para os estudos e demais atividades inerentes ao curso?
  • Você tem autonomia e consegue estudar sozinho, ler, interpretar sem alguém "pegar na sua mão"?
  • Entre outras.

Como ex-aluno de EAD, você recomenda esse tipo de curso?

Recomendo. Com ressalvas, é claro. A educação a distância é importante porque ela democratiza o acesso ao ensino superior e dá oportunidades a quem provavelmente nunca iria fazer uma faculdade. Então, creio que ela seja uma oportunidade e também um direito e sobre este aspecto eu recomendo.

A ressalva que faço é para aquelas pessoas que tem um pouco de dificuldade na autonomia de estudos. Isto é muito importante dentro do modelo EAD. Se a pessoa é daquelas muito dependentes dos outros para explicar tudo, então, talvez fosse melhor trabalhar primeiro esta questão para depois pensar no modelo a distância.

Quem você acha que não deveria fazer faculdade a distância?

Este é o ponto, quem não deveria fazer? Embora eu tenha defendido o modelo EAD e isto pode ser visto nas minhas respostas, creio que existem pessoas que até poderiam fazer uma faculdade a distância, mas não do jeito que elas estão. Vou explicar.

Pense em uma pessoa que tem muitas dificuldades com matemática e língua portuguesa, por exemplo. Imagine que esta pessoa tenha dificuldades de interpretar um texto ou não consiga se expressar em uma redação de qualquer natureza de forma a ser entendida ou transmitir algo sensato. Eu penso que esta pessoa não deve fazer uma faculdade, nem presencial nem EAD. O caso dela não é deixar de estudar, mas estudar aquilo que vai agregar mais e neste caso é educação básica e não superior.

Você não vai aprender português em uma faculdade a distância, isto você já precisa saber, aliás, não deveria ter saído do ensino médio enquanto não tivesse de fato condições de continuar.

Digo isto para o bem das pessoas, pois caso contrário, haverá muitas dificuldades em um curso superior EAD e a experiência não será boa e o aprendizado muito prejudicado. Pense nisso.